Não somos o povo de Deus


Olhando rapidamente, parece haver um povo sedento de Deus, povo fiel, disposto a passar por tudo, apenas para agradá-Lo.

As aparências enganam.

Enquanto clama pelo Espírito e mesmo pelo retorno de Cristo, quantos não estão pedindo o juízo sobre si? Juízo de condenação. É a triste verdade. Basta olhar ao nosso redor para enxergar, tão claro como o Sol ao meio-dia, que algo vai muito mal e o número de seguidores verdadeiros de Jesus é muito, mas MUITO menor que o professo.

Estamos sujos, não queremos banho e não aceitamos roupas limpas. Na verdade, dizemos que aceitamos mas as guardamos no guarda-roupas, esquecendo-nos de que as vestes de Salvação estão ao nosso alcance. O pior: o Alzheimer espiritual está em estado avançado. Fingimos e dizemos a todos que vestimos as vestes que Jesus oferta. Mas ainda estamos nus.

Desconhecemos tanto Àquele a quem chamamos "nosso Deus", que nem mesmo temos noção de Seu poder! Nos acostumamos com o pouco. Dizemos que é o poder do Espírito Santo quando uma pessoa se converte e chamamos de maravilhosa bênção quando o número chega a três. Esquecemos que com um único sermão, três mil pessoas foram convertidas, no passado. Esquecemos que temos um Deus poderoso! Nem mesmo lembrados como Ele é puro e santo! Insistimos em comparecer diante dEle com imundícia voluntária (escolhemos pecar), manchados de mentira, ódio, rancor e todas as formas de pecado! Até mesmo os pastores (meu Deus, até os cuidadores do Teu povo!)!

Somos fariseus.

Temos sabido de escândalo sobre escândalo, uma vergonha maior que a outra!
Chegamos ao extremo de, quando vemos um cristão defender seus princípios, recusando ao mundo, em honra a Cristo, nos emocionarmos. Essa deveria ser a regra, não a exceção!

Não. Não somos o povo de Deus.
Ainda (AINDA) há solução para isso.

Como na letra de Marcos Vidal, perguntamos a Deus:

Onde estão a justiça e a vergonha?
Onde estão o castigo e a razão?
Por que te calas, Senhor, e nos esqueces?
Como pode permitir tanta dor?
Diga-me onde está aquele Deus,
O Deus de Elias,
Que de vez em quando se deixava ouvir? 

O problema é que Deus está nos perguntando

Como posso derramar
o Meu Espírito
se Meus filhos não se voltam para Mim?
Onde estão aqueles homens como Elias,
que deixaram tudo para me seguir,
que romperam compromissos com o mundo
somente para agradar a Mim?
Onde estão aqueles três que em Babilonia
preferiram ser queimados a ceder?
Onde está aquele Daniel que Me adorava?
Onde está a santidade de José?
Onde está o menino que matou ao gigante?
Onde estão os sucessores de Josué?
Onde estão as mulheres consagradas como Ester?
Se Meu posso se voltasse e me buscasse
renovando, assim, sua entrega e sua fé,
se Me amassem como amam seus caminhos,
Eu abriria as janelas dos Céus
e a Terra hoje veria o Meu poder,
Por isso repito, como antes:
Busque-me e viverás.


Entenda: Não há outra solução.



Assim fala o SENHOR dos Exércitos: Este povo diz: Não veio ainda o tempo, o tempo em que a Obra do SENHOR deve ser edificada.
Acaso, é tempo de buscarem seus interesses, enquanto Minha obra permanece em ruínas?
Tendes semeado muito e recolhido pouco; comeis, mas não chega para fartar-vos; bebeis, mas não dá para saciar-vos; vestis-vos, mas ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o para pô-lo num saquitel furado.
Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Considerai o vosso passado.
Esperastes o muito, e eis que veio a ser pouco, e esse pouco, quando o trouxestes para casa, eu com um assopro o dissipei. Por quê? - diz o SENHOR dos Exércitos; por causa da minha obra, que permanece em ruínas, ao passo que cada um de vós corre por causa de seus próprios interesses. (Ageu 1:2-9 Adaptado)

Não somos o povo de Deus.
Mas ainda podemos ser.
Escolha.



bcayres

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS

2 comentários:

  1. Muito bom. Parabéns!
    Posso postar este artigo no blog dos Diáconos da Pituba?
    Ronaldo.

    ResponderExcluir
  2. Fique à vontade, Ronaldo! O importante é que as pessoas leiam.

    ResponderExcluir