Livro: As Vítimas-Algozes


Quando me foi proposto fazer um livro para a matéria de Projeto IV, nem precisei pensar: sabia que faria As Vítimas-Algozes. Para falar a verdade, não tenho a mínima ideia do por que esse livro surgiu em minha mente, mas foi a primeira coisa que pensei e não quis mais tirar da cabeça.

Meu colegas de turma foram mais "espertos". Escolheram livros com poucas páginas (por volta de 100). Eu juro que não lembrava que esse livro era tão grande. Realmente foi uma epopeia desde o começo do projeto gráfico até ter o livro impresso em minhas mãos! Fiz dezenas de testes de tamanho de página, tamanho da mancha gráfica, fonte, entrelinhas e tipografias.

Finalmente, meu professor me deu um puxão de orelha e falou que "ele precisa ser mais gracioso". Foi quando caí na real que o puro feijão com arroz não deveria ser apresentado aqui! Precisava de algo mais. Juro também que quando pensei no título do livro, imediatamente me veio à mente (como acontece em quase todos os casos de demanda gráfica), imediatamente, a imagem que deveria estar na capa do livro. É meio que uma previsão mental de como a coisa ficará após terminada, mas consigo imaginá-la nas minhas mãos. Isso é bem útil (não sei se mais alguém aqui é assim...)!

Quando apresentei o projeto em PDF ao professor Walter Mariano, ele logo arguiu interrogou: "é assim que você pretende passar na matéria? Preciso do livro impresso!". Esse foi meu momento de ficar preocupado. Não tinha como imprimir um projeto de quase 400 páginas! Cheguei no trabalho reclamando (estou estagiando na Edufba - a editora da UFBA) e os colegas logo deram a ideia de falar com a chefe e imprimir lá mesmo. Eu só gastaria com a capa. E foi o que fiz! O maior projeto da turma foi justamente o de menor gasto.




 









Desconsiderem o papel! Por ser uma boneca, apenas, não tinha dinheiro pra usar o papel pólen, conforme o projeto. Perdão pelas fotos de celular! Vendi minha câmera...

A ilustração é minha! Quando pensei em vítima assassina, logo imaginei uma corrente nos punhos de um escravo e formando uma forca, para passar a ideia de poder destruidor que o escravo tem contra seu senhor. Deu o maior gosto fazê-la. Consegui o efeito desejado!

Aguardo comentários (acho que ninguém vai comentar)...

COMPARTILHE

COMENTÁRIOS

1 comentários:

  1. Eu quero que você poste só o desenho das correntes! :) muito BOM você sabe que eu já tinha elogiado.

    ResponderExcluir